9.9.10

sempre afins

um cheiro
honesto
segredos
( a escritora estava de férias...)
tinha família e tudo, uma pessoa absolutamente, delirava...)
o fluxo intenso do pensamento deixava a escritora voraz de idéias.
queria palavras poucas que dissessem do que é vivido sem se viver.
que é oposto do que se deva.
se dever, devêssemos...viver em delírio...
[mas bem, como estava de férias...
lhe faltaram palavras]
(e a página continua em branco...)
pensou em falar sobre o erotismo da vida.
o ventre ardia todo em sentir o cheiro dele.
um cheiro honesto.
o cheiro do tema do prõximo poema.

2 comentários:

versospoti disse...

demais!

Rolando disse...

Olá. Tudo blz? Estive aqui. Legal. Apareça por lá. Abraços.

Seguidores

quem sou eu?

Minha foto
as definições, as conceituações, me entram, como se diz, por um ouvido e saem pelo outro... sou.